A Bola ou o… Jogo?

11 de Novembro de 2016

São três bons jogadores, três criativos ofensivos com técnica (finta e remate) mas são três jogadores em quem tenho sempre muita dificuldade em confiar no jogo. Penso em Rúben Ribeiro, Krovinovic e Gil Dias. Três virtuosos, mais ou menos insolentes, do Rio Ave. O onze de Luís Castro ataca muito (e bem, por dentro e por fora) mas é nestes jogadores que confia ara depois a tal palavra eficácia ganhar sentido com o golo. Também seria questão do ponta-de-lança, mas emoldurados por estes três individualistas do colectivo, quer Gonçalo Paciência como Guedes parecem seres menores- É como só jogassem quando os outros querem. A equipa perdeu o início de recuperação e construção (sem Wakaso e Felipe Augusto) e osso aumentou mais esta sensação e, sobretudo o protagonismo excessivo daquele trio de qualidade insolente. fazem da bola o que querem mas, quase sempre, nessa técnica tão fácil de ter a bola,, ficam sem saber o que fazer do... jogo.