A Equipa da Frente para Trás

25 de Novembro de 2016

O momento defensivo do FC Porto é hoje a base da solidez competitiva da equipa mas não é, em si mesmo, o seu processo de jogo. É, antes, apenas uma parte desse processo global. Ao ter começado por rotinar esses pilares, Nuno revela a prioridade de construção do seu modelo de jogo.

É, também, uma boa forma de perceber que a frase que uma equipa se começa a construir de trás para a frente está cada vez mais desfasada, porque o que se começa a construir é o... jogo e forma de estar nele. Defender bem implica toda a equipa. Este FC Porto explica isso no momento de recuperação da bola, o factor mais responsável pelo solidificar da base de “defender bem”, através da forma como nessa ação de pressão/recuperação (encurtando rapidamente o espaço aos adversários ou caindo em antecipação nele) participa todo o onze e não só o sector defensivo ou os médios mais defensivos.

Por isso, para ver estatisticamente como este FC Porto “defende bem” tem de se ver como se comportam todos os jogadores (desde a dupla de ataque quando o adversário quer sair a jogar).

Nesse contexto, cada vez mais fará sentido dizer que uma equipa se começar a construir... da frente para trás.