A Vitória de Carvalhal

25 de Maio de 2017

A vitória enche páginas mas a qualidade a construir equipas não se esgota nesse simples olhar final. Longe disso. Por isso, no, talvez, campeonato mais difícil do mundo (o Championship, II Liga inglesa) Carvalhal é um dos treinadores portugueses de maior sucesso no estrangeiro mesmo falhando a subida.

Em duas épocas, montou equipas com bom futebol com base num modelo respeitador da bola e posse construtiva mas que num quadro competitivo de três em três dias tanto joga contra um adversário que também quer jogar na relva como logo a seguir vai a um mais pequeno, quase saído dos anos 70, que mete a bola na área em “jogo direto” sucessivamente. De repente, tem de adaptar a ideia de posse, a uma nuance de “segundas bolas”. Mudar tanto, por exigência, o teu estilo sem perder o modelo não é fácil e só é possível quando os jogadores tem bases tácticas bem assimiladas.

Como prova deste feito de Carvalhal no Sheffield basta dizer que (após 18 chicotadas na época passada e 16 nesta, em 24 equipas) ele é hoje o terceiro treinador mais antigo do Championship. Sucesso (também) é isto. Ganhar ou perder a época num jogo de play-off é outra coisa.