As Barbas de Jonas

08 de Dezembro de 2016

Vejo as suas imagens, já sem jogar há algum tempo e a barba que deixou crescer, com algumas brancas já a despontar, revelam mais um velho sábio do que um jogador de futebol em recuperação. Mas, afinal, pensando bem, as duas coisas serão a mesma ou devem coincidir na mesma personagem. E, sim, coincidem. Jonas tem segredos de bom futebol escondidos dentro de si e, sobretudo, formas de os expressar numa fase da carreira onde palavras como motivação e aplicação começam a desvanecer-se. No seu caso, não. Até se refinaram.

Esta sua imagem barbuda é, por isso, quase um lado místico do futebol. Não sei se irá regressar no derby, ou num jogo seguinte, mas gostava que quando regressasse, jogasse com essas mesmas barbas. Como descendo a montanha trazendo os mandamentos do jogo. Escusam de ser dez. Bastam três ou quatro. De recepção, movimento e passe. E, no fim, coçasse a barba como fazem os velhos sábios.

Os jogadores podem jogar bem ou mal, porque os jogos são sempre diferentes e nem todos podem ser craques. Só alguns, porém, podem-no levar, mesmo sem jogar, para outra dimensão com uma simples imagem.