As Subidas Sem ”Contos de Fadas”

11 de Maio de 2017

Esta época a II Liga não teve a luta pela subida até ao ultimo remate.

O Portimonense, pelo nível de jogadores e qualidade de jogo, era uma "equipa de primeira" a jogar na segunda. Junto com o factor-Vítor Oliveira a subida tornou-se uma formalidade. A quebra na segunda volta terá cruzado a descompressão de alguns jogadores (caso de Paulinho) e alterações no onze (mudou a defesa toda, alguns médios e nem sempre a “fábrica de golos” de Pires salva tudo).

O Aves também teve uma quebra e mudou de treinador (Ivo Vieira por Zé Mota). Terá ganho um maior perfil de “combate mental” que foi decisivo. O meio-campo cresceu nos jogos e renasceu um dos pontas-de-lança que mais gosto da II Liga: Guedes.

O desafio da I liga será diferente mas isto são equipas de II liga... especiais. Aqui não há contos de fadas. Há boas equipas resultado de fortes investimentos financeiros (vindos do longe e com o moderno "futebol dos empresários"). Sobem, por isso, de forma diferente do que no passado. Bem trabalhados podem ganhar suporte estrutural para deixarem de ser as tipicas "equipas-elevador" (sobe e desce) do nosso futebol.