Banfield, campeão argentino 2009

18 de Dezembro de 2009

Banfield, campeão argentino 2009

Mais do que um século. 113 anos e 90 minutos, a derrota na Bombonera, contra o Boca, a respiração suspensa, mas, de longe, a noticia da derrota do Newell`s, e, por fim, o Banfield, histórico da segunda linha do futebol gaúcho, era pela primeira vez na sua história, campeão argentino! Ganhou o Apertura 2009. Após 19 jogos sem conseguir despertar grande entusiasmo (como aliás quase toda a Liga argentina, hoje mais apagada do que nunca) o onze de Julio Cesar Falcioni, conquistou o título praticamente sempre com o mesmo onze e, no ataque, uma estrela que há cinco anos passara, quase desprezado pela critica, pelo Beira-Mar: o ponta-de-lança El Tanque Silva.

Não se pense, porém, que ficou muito melhor jogador entretanto. Está na mesma, possante, sempre à procura do choque, mas com astúcia para cair nas costas dos defesas (fez 14 golos) soube furar pelo cinzentismo do actual fútbol gaúcho e formou uma dupla de ataque com o esquivo El Seba Fernandez, um uruguaio que, sempre em movimento (deve ser o jogador da equipa que corre mais em menor espaço de terreno) girando em torno do Tanque, era o grande responsável por desequilibrar as defesas adversárias e abrir espaços.

Banfield, campeão argentino 2009 O onze foi quase sempre o mesmo durante 19 jogos. A única mudança foi forçada pela lesão do trinco Bustos e no seu lugar passou a jogar Battion, novo acompanhante de Ervitti, reciclado no terreno (ele que antes era jogador de faixa) para jogar mais no corredor central, formando-se quase uma espécie de duplo-pivot europeu (o doble 5 como lhe chamam os argentinos) para depois sair mais para o jogo, conduzindo a bola para o ataque. Sem paixão pelos sistemas sul-americanos de três defesas, Falcioni montou um 4x4x2 (ver quadro em baixo) bem estendido a toda a largura do campo, sobretudo a defender.

Na defesa, um central experiente, Victor Lopez, muito forte no jogo aéreo e que em cada bola parada ofensiva era uma esperança de golo. Nas faixas, Barraza fazia toda a ala direita, combinando, à frente, com o ala Quinteros, 32 anos, sempre pronto a cruzar, enquanto do outro lado, sobe Bustamente, e surge a promessa colombiana Rodriguez, 18 anos, ala elegante, esquerdino, com GPS na chuteira.

O técnico Falcioni é um obcecado pela táctica e isso na Argentina cai bem. O Banfield já teve, no passado, melhores equipas. Com melhores jogadores, como Dátolo, Cvitanich ou Armenteros, mas não passou do segundo lugar, em 2005. Falcioni, que diz basear muito do seu segredo na permanente divisão do treino dos avançados e dos defesas, soube ler melhor o jogo e inventou uma equipa equilibrada, muito realista em campo, capaz de agarrar o título. É o que vale ter uma identidade.