Ederson: a vocacão emocional

06 de Abril de 2016

Eu sei que existe muito trabalho no crescimento dum jogador (e como para um guarda-redes o seu treinador é decisivo) mas, pensando nessa posição tão especifica, há uma coisa fundamental que se têm ou não se têm: chamo-lhe “vocação emocional” para o lugar. Não perder o controlo do sistema nervoso, não deixar o anseio de brilhar (saídas ou voos extemporâneos) ultrapassar a sobriedade da eficácia.
Só assim está sempre no “sitio certo”, o local onde a serenidade e técnica do lugar lhe permite ser rápido e preciso nas defesas.
É a imagem de Ederson. Na cabeça, já nasceu guarda-redes.