Caiu-lhes o “céu em cima da cabeça”

14 de Janeiro de 2016

O primeiro contra o último. No futebol, por principio, os extremos não se tocam. Distanciam-se. E a pergunta é sempre a mesma: até que ponto pode uma equipa pequena carregando a “lanterna vermelha” crescer na casa do grande que lidera o campeonato?
No fim da linha do onze-lanterna, dois jogadores soltos. Poderá a bola chegar-lhes alguma vez? Eles são quase o “elo perdido” na frente até que uma bola lhes aparece por perto, o espaço está lá, e Nathan, um avançado que tem “instinto de rato” (é um elogio para um ponta-de-lança móvel) chega, isolado, frente ao guarda-redes da equipa grande que poucos esperam que seja a figura neste tipo de jogos. Penalty e golo.
Na cabeça dos jogadores é difícil, então, mudar o “chip” com que entraram. Para a “equipa grande”, o jogo que iam “ganhar com facilidade” torna-se uma montanha para subir (com menos um jogador). Para a “equipa pequena”, o jogo que era “impossível ganhar” está de repente á sua frente, em superioridade numérica. O mudar da cabeça dos jogadores nesses momentos pode provocar alucinações.
O Tondela tem a “alma de Petit”. Não tem conseguido esse impacto imediato em face do atraso táctico-mental do onze nesse estilo mas este tipo de jogos desperta esses instintos de trincheira em qualquer jogador.
A segunda-parte é, porém, “muito longa”. E quando entra um novo elemento agitador ainda parece maior. Gelson Martins. Ele não “vale por dois” mas parece que é “mais do que um” jogador que entra. Parece que se multiplica na frente perante a “equipa pequena” que não se quer encolher até ao que seria o seu tamanho natural mas a “pedra do destino” parece pesada demais. Em quinze minutos o céu caia em cima da cabeça da “equipa pequena”. Resultado virado.
Tentar nessa altura controlar um jogo em que o grande só foi superior quando o dominou nunca é fácil de fazer nestas circunstâncias. Parece o mais ponderado (depois de dominar, passar a controlar) mas na cabeça da equipa pequena a quem “roubaram o sonho” isso dá-lhe como uma nova vida que, ao principio, nem imaginava ter.
Chamorro, um novo avançado na frente, e o empate. O céu voltava outra vez a cair em cima da cabeça mas agora da “equipa grande”. Em nenhuma das vezes, nenhuma delas estava à espera. Afinal, é mudar melhor a frase do principio do texto. Os extremos tocam-se mesmo.