Com “Punhos Cerrados”

01 de Dezembro de 2016

O tempo é algo impossível de controlar. Para um jogador de futebol, é o maior inimigo no avançar da carreira. Sabemos que os guarda-redes são os que resistem mais tempo a esse destino, mas, mesmo assim, há expressões que marcam a diferença. Penso nisso ao ver as defesas de Quim, 41 anos, com a agilidade (porque para o sentido posicional encontra-se razão na experiência) n baliza do Aves frente ao Portimonense.

Recordo de o ver ainda miúdo a começar a destacar-se nos juniores do Braga. Agora vejo-o, de cabelos brancos (depois de campeão no Benfica e seleção) a defender, voando no Aves.

Para além das defesas, gostei de ver como vibrou depois duma defesa espetacular a um remate forte dum avançado algarvio isolado. Naquele gesto de punho cerrado e grito, estava a matéria de que é feito os “domadores do tempo”. O Quim é dos melhores guarda-redes que vi no nosso futebol. E continua a ser. Como um miúdo.