Em Nantes: “Visão Total”

25 de Maio de 2017

A imagem que se colou dele como sendo um treinador (ainda com alma de jogador) que perde a cabeça por pensar (e gritar) sempre com o coração, turva a avaliação correta das competências e qualidades a ver, pensar e discutir o jogo de Sérgio Conceição. Chegou ao Nantes com a equipa perto da descida e acabou colocando-a perto da Europa.

Pelo meio, ergueu um projeto de bom futebol e liderança que (sem, em certos momentos, conseguir evitar zonas de conflito) prova como está dentro dele um dos melhores treinadores portugueses a pensar e viver a abordagem do jogo.

A necessidade de ter em torno dele uma estrutura que melhor emoldure (balize/controle) toda essa personalidade, é indispensável para o seu estilo se exprimir no que é mais importante: treinar, liderar e orientar bem a equipa. O Nantes, na equilibrado Liga francesa (onde todos atacam com velocidade) é um exemplo de como o estilo-Sérgio Conceição faz falta aos bancos do nosso futebol.