ARSENIO ERICO

16 de Junho de 2005

Durante a guerra do Chaco, entre a Bolivia e o Paraguai, muitos jogadores paraguaios sairiam do país integrando uma equipa da cruz vermelha para arrecadar dinheiros destinos a auxiliar os feridos de guerra. Arsenio Erico foi um desses casos, mas quando, na Argentina, foi visto por dirigentes do Independiente, logo cativou os seus olhares. Convidado a ficar, disse logo que sim, ingressando no clube rojo em 1924, com apenas 18 anos.

Alinhou entre 1924 e 1946, tornando-se o maior goleador de todos os tempos no campeonato argentino, apontando 293 golos em 325 jogos, record que permanece até hoje. O seu jogo, no entanto, não resumia aos golos. Ilusionista dos espaços curtos, driblava e planava como uma pluma, pousando depois sobre a bola como um falcão sobre a sua presa. Sempre sorridente como que pedindo desculpas por fintar tantas vezes os adversários. Adorava dar toques de calcanhar e Cátulo Castillo dedicou-lhe um tango onde a certo ponto se tocava: Pasará un milénio sin que nadie repita tu proeza, del pase de taquito ou de cabeza.

CARREIRA

  • Club Nacional de Paraguay. Independiente, 1934 a 1946(12 temporadas).
  • Huracán, 1947.
  • TITULOS
  • 2 Ligas argentinas com o Independiente em 1938 e 39.