BLOKHINE

16 de Junho de 2005

Em Nivki, quarteirão de Kiev, cidade capital da Ukrania, os olhos de Alexander Leonidov, embaciados como um copo de vodka, viajam pelo rio da memória acima. Uma vida dedicada á escola de futebol do Dinamo de Kiev, onde com o seu temperamento perfeccionista e exigente ganhou a admiração de todos.

Nos últimos tempos, as novas gerações insinuavam que os seus métodos, como os da ideologia soviética, estavam ultrapassados. Leonidov, cabelos brancos, perante os seus detractores, encolhe os ombros e diz enquanto vira costas: vão formar outro Blokhine e depois venham outra vez falar comigo... Nas suas sábias palavras estava o orgulho de ter descoberto o jogador que, integrado desde o inicio dos anos 70 no laboratório de Lobanovsky, iria reger, durante quase duas décadas o futebol veloz e mecanizado do Dínamo Kiev, conduzindo-o ás maiores conquistas da sua história Oleg Blokhine

BLOKHINEChamavam-lhe a flecha da Ucrania, tal a velocidade de sprint que atingia (10.7 segundos aos 100 metros). No inicio da carreira jogava a médio ala esquerdo, mas com o passar dos anos, na escola de artes de Kiev, tornou-se um maestro do meio campo. Forte fisicamente, era um artista com um temperamento quase latino que rompia a frieza de leste, tal a forma como improvisava os lances e gesticulava com os colegas e adversários. Carismático, com estonteantes mudanças de velocidade, capaz de virar um jogo sozinho, arrastava toda a equipa atrás de si. Considerava-se um libero ... do meio campo para a frente. Se nem ele sabia o que iria fazer a seguir, então muito menos havia possibilidade de o adversário o descobrir.

Em 1975 venceu a Bola de Ouro para o melhor jogador europeu do ano. Disputou 432 jogos no Campeonato soviético, marcando 211 golos. É, para a eternidade, o jogador soviético com maior número de internacionalizações: 112, entre 1972 e 1988, tendo marcado 42 golos.

Jogou nos Mundiais de 82 e 86. Foi campeão da URSS como o Dínamo por 6 vezes (74, 75, 77, 80, 81 e 85), vencendo duas Taça das Taças, 75 e 86.

Depois de 20 anos ao mais alto nível, poucos entenderam que, aos 34 anos, no final da carreira, quando se limitava a actuações esporádicas o Dínamo, finda a URSS e abertas as fronteiras, fosse jogar para um modesto clube austríaco Worwarts-Steyer. Pouco tempo depois pendurava as chuteiras.

CARREIRA

  • Dinamo de Kiev 1970/71 a la 1986/87.
  • Vorvaerts Stayr (Austria), 1988/89.
  • Aris de Salónica (Grecia), 1989/90.

TITULOS

  • 8 Ligas soviéticas no Dinamo de Kiev, 1971, 1974, 1975, 1977, 1980,
    1981, 1985, 1986.
  • 5 Taças soviéticas no Dinamo de Kiev, 1974, 1978, 1982, 1985, 1987.
  • 5 vezes melhor marcador da União Soviética, 1971, 1972, 1973, 1974 y 1977.
  • 2 Taças das Taças no Dinamo de Kiev, 1975 e 1986.

BOLA DE OURO

  • Melhor jogador europeu do ano- 1975.
  • Duas medalhas olímpicas de prata na URSS, 1972, 1976.