GREN- NORDAHL- LIEDHOLM

16 de Junho de 2005

A lenda do Milan como gigante do Calcio, começou a desenhar-se, na alvorada dos anos 50, por entre a atmosfera do pós-guerra. Com todo o país a trabalhar na obra da reconstrução, a cidade de Milão é celebrizada como a capital do trabalho. É então presidente do clube Umberto Trabattoni. Inicia-se nesse distante tempo o dourado romance dos estrangeiros no Calcio. Vivia-se uma estranha atracção pelo futebol do norte da Europa. Sentia-se ser necessário incutir força na técnica latina.

Em 1949, o Milan reúne um fabuloso trio de suecos: Gren, Nordhal e Liedholm. Gren, ocupava o meio campo, sempre em cima da bola. Nordhal, era o homem-golo. Possante, 1, 80 e 95 kg., era um iceberg em movimento, exímio a jogar em cunha entre os centrais. Com um remate portentoso, fez 210 golos em 257 jogos pelo Milan, sagrando-se por cinco vezes o melhor marcador do Scudetto. Liedholm, credenciado regista do meio campo da Suécia, era o cérebro do onze, Fez 359 jogos e 81 golos pelo Milan, ao longo de 12 épocas, de 49 a 61. Era um gentleman do Calcio, fino no trato da bola e com uma capacidade atlética invulgar. Sedutor, casou em Itália com uma Baronesa de Piamonte, passando a partir dessa data, a ser conhecido como Il Barone.

GREN- NORDAHL- LIEDHOLMJuntos formam o célebre trio Gre-No-Li que irão marcar uma época no Milan e em todo o futebol italiano. Serão eles a base do onze que, em 50/51, recupera o Scudetto para o Milan, 44 anos depois de Kilpin. Foi um duelo épico com o grande rival Inter, que terminou a apenas um ponto. Ambas as equipas eram uma fábrica de golos: 107 cada uma em todo o Campeonato! No Milan, Nordhal, 34 golos, Burini, Annovazzi e Liedholm, lançavam o pânico entre as defesas do Calcio. Quando hoje falam a Liedholm sobre o 3-4-3 que no presente é apresentado como o grande sistema do futebol moderno, o velho lobo sueco encolhe os ombros: Não é uma novidade revolucionária, porque no futebol já não é possível inventar mais nada. Reparem que até Sachhi apenas refinou o que faziam Viani ou Rocco. O 3-4-3 já era utilizado por nós nos anos 50. Só que nesse tempo não se falava de estratégias. E, mesmo hoje, era melhor discutir mais os homens que os modelos.

 

GREN

Características Era um médio interior direito de grande recorte técnico e com uma visão de jogo fabulosa. Caminhava com a bola, levantava a cebeça e organiza jogo, sempre com um perfeito controle de todas as situações. A bola parecia que lhe estava colada ao pé.

Clubes onde jogou

  • Garda BK, 1937 a 1940.
  • IFK Göteborg, 1941 a 1948.
  • Milan, 1948 a 1953.
  • Fiorentina, 1953 a 1955.
  • Genoa, 1955/1956.
  • Örgryte.
  • Gais.

TITULOS

  • Campeão Olímpico (JO de Londres, 1948).
  • Vice-campeão do Mundo (1958).
  • 1 Campeonato sueco (IFK Goteborg, 1942).
  • 1 Scudetto (Milan, 1951).
  • 1 Taça Latina (Milan 1951).
  • Internacional 57 vezes, 32 golos.
  • Fez 318 jogos e 142 golos no campeonto sueco

 

NORDAHL

GREN- NORDAHL- LIEDHOLM1indiscutivelmente, um dos melhores jogadores suecos de todos os tempos. Jogava, fazia jogar e marcava golos. Fez 43 em 33 jogos con a seleccão sueca entre 1942 e 1948. No campeonato italiano, peloMilan, apontou 225 goles em 291 jogos. Na Suécia, num tempo em que o futebol ainda era amador, tinha como outra actividade bombeiro. POr isso, quando chegou a Itália, ficou conhecido como o "Pompiere", isto é, bombeiro em italiano.

CLUBES ONDE JOGOU

  • Degerfors, 1940 a 1944.
  • Norrkoping, 1944 a 1949. (Sempre campeão!)
  • Milan, 1949 a 1957.
  • Roma, 1957/58.
  • Karlstads BK.

TITULOS

  • 4 Campeonatos suecos ( Norrkoping, 1945, 46, 47 e 48).
    1 Taça da Suecia (Norrkoping , 1945).
  • 5 vezes melhor marcador do campeonato italiano: 1950 (35),1951 (34),1953 (26),1954 (23),1955 (27).
  • 2 vezes campeão italiano (Milan , 1951 e 1955).

 

LIEDHOLM

GREN- NORDAHL- LIEDHOLM2

CARREIRA

  • IFK Norrköping.
  • Milão, 1949 a 1961.
  • Como Treinador:
  • Milão 1961 a 1966.
  • Verona, 1966 a 1968.
  • Monza, 1968/69.
  • Varese, 1969 a 1971.
  • Fiorentina, 1971 a 1973.
  • Roma, 1973 a 1977.
  • Milão , 1977 a 1979.
  • Roma, 1979 a 1984. Milan, 1984 a 1987.
  • Roma, 1987 a 1989.
  • Verona, 1991/92.

TITULOS

Como jogador:

  • Campeão Olímpico (Suecia, 1948).
  • 2 vezes campeão sueco (Norrkoping, 1947 e 1948)
  • 4 veces Campeao italiano (Milão, 1950/1951, 1954/1955, 1956/1957,
    1958/1959).
  • 2 Taças latinas (1951 e 1956).

Como treinador:

  • 2 Scudettos (Milan 78/79) e (Roma 82/83).
  • 3 Copas de Italia (79/80 e 80/81, Roma), (83/84, Milan).