KEVIN KEEGAN

16 de Junho de 2005

Os anos 70 ainda se espreguiçavam, quando numa madrugada de 71, Ron Ashman, manager do Scunthorpe, teve de se levantar cedo. Dias antes comprometera-se com Shankly em levar nessa manhã a Anfield Road um “little boy” de 20 anos que fazia o queria da bola e que, na brincadeira, descrevera como um terrível buldog em forma de jogador de futebol. O seu nome era Kevin Keegan. Os clubes tinham acordado uma transferência por 33.000 libras. Uma pequena fortuna para o modesto Scunthorpe.

No caminho, porém, o miúdo Keegan apenas lembrava as palavras do seu pai, um humilde mineiro, que antes de sair de casa lhe aconselhara sabiamente a nunca se vender barato. Quando chegou a Anfield, Keegan encontrou um ambiente confuso. Estava-se a cinco dias da final da Taça com o Arsenal. Durante meia hora esperou numa sala para ser recebido. Começava a ficar nervoso quando ouviu, com típico sotaque escocês, a inconfundível voz de Shankly. Levantou-se de imediato e, num instante Shankly entrou na sala e mal olhou para o seu 1,63m., ficou impressionado: “Hey, son, já alguma vez pensaste em ser boxer? Que físico, costumas fazer pesos?” Muitos não sabem, mas Shankly estava certo, antes de jogar futebol, Keegan fora boxer na sua adolescência em Doncaster.

A proposta de Shankly foi 45 libras por semana. Keegan ouviu, lembrou-se dos conselhos do pai, fingiu-se pouco impressionado e disse que “Não sei, no Scunthorpe ganho 35 mais 10 de bónus de vitória.” Ashman ia desmaiando vendo os seus 33.000 a voar. Shankly olhou-o e ripostou: “Ok, 50 por semana!”. Negócio fechado. Na viagem de regresso, Ashman, furioso, repreendeu Keegan, que, na verdade, apenas ganhava 30 libras. “Ok, mas pelo menos falei verdade no 10 de bónus”, disse o pequeno leão de Doncaster. respondeu Ashman, mas quando é que alguma vez ganhas-te um bónus em Scunthorpe?”.No final, felizes, ambos terminaram a rir-se e a brindar ao excelente negócio. Bons tempos.

Assim começava o fabuloso caminho de Keegan em Liverpool. Ainda hoje ele é a sua figura mais recordada. Era um jogador fantástico. Desenvolveu uma tal intimidade com a bola que muitos passaram a atribuir os seus lances de génio a pura sorte. Nesse contexto, Jack Charlton, ex-internacional e exímio pescador, disse uma vez que se Keegan tropeçasse e caísse no Rio Tyne levantarse-ia com um salmão na boca. Era uma personagem cativante. Em Southampton os jogadores costumavam dizer que quando Keegan se atrasava para o autocarro da equipa era porque estava a correr a cidade á procura de alguém que ainda não tivesse o seu autografo.

Delirios britânicos, claro está. Keegan era um talento nato. Veloz, mudando constantemente de posição, parecia voar baixinho. O chamado estilo “Mickey mouse” em 90 minutos de um só fôlego.

CARREIRA: jogos/golos

  • 1970/'71 Scunthorpe United (Eng )
  • 1971/'72 Liverpool (Eng1) 35 -9 1
  • 972/'73 Liverpool (Eng1) 41 -13 1
  • 973/'74 Liverpool (Eng1) 42 -12
  • 1974/'75 Liverpool (Eng1) 33- 10
  • 1975/'76 Liverpool (Eng1) 41 -12
  • 1976/'77 Liverpool (Eng1) 38 -12
  • 1977/'78 Hamburger SV (Dui1) 25- 6
  • 1978/'79 Hamburger SV (Dui1) 34- 1
  • 1979/'80 Hamburger SV (Dui1) 31 -9
  • 1980/'81 Southampton (Eng1)
  • 1981/'82 Southampton (Eng1)
  • 1982/'83 Newcastle United (Eng2)
  • 1983/'84 Newcastle United (Eng2)

TITULOS:

  • 3 Premiere League com o Liverpool, 1975/76 - 1976/77 - 1978/79.
  • 2 Taças UEFA com o Liverpool, 1972/73 e 1975/76.
  • Campeón de la Cup FA con el Liverpool, 1973/74.
  • 1 Taça dos Campeões com o Liverpool, 1976/77.
  • 1 Bundesliga com o Hamburgo, 1978/79.
  • 1 Taça da Alemanha, com o Hamburgo, 1978/79.
  • 2 BOLAS DE OURO - Melhor jogador europeu do ano, 1978 y 1979.