PASSARELA

16 de Junho de 2005

Em 1978, no entanto, Menotti nem pestejanaria antes de o colocar no epicentro das defesas adversárias. Sabia que ele era o homem para virar o curso de um jogo em qualquer momento, na pena de Galleano um potro imparável que luzia galopando com o longo cabelo ao vento sob um relvado repleto de papelitos brancos. Kempes nunca dava por perdida uma bola. Na primeira fase, porém o golo parecia não querer nada com ele. Foi então que, brincando, Menotti lhe disse para cortar o seu farto bigode. A ideia resultaria em pleno. No resto da Mundial, Kempes marcaria seis golos e com eles guiou a Argentina á conquista do titulo mundial.

Foi um líbero imperial. Era a exaltação da arrogância, como escreveu Valdano em Sueños de Fútbol, expressa na forma como conduzia a bola de cabeça erguida, altivo e com umas gotas de desprezo até pelo mundo. Com o público todo em contra, pedia a bola ao seu guarda-redes e passeava-se lentamente com ela, provocando um gigantesco coro de assobios, como um desafiante de cabelo curto que com esse gesto avisava 50.000 inimigos: aqui quem manda sou eu! Alinhou no Ríver em dois ciclos. Entre 1974 e 1981, ano em que saiu para a Fiorentina, e, no final da carreira, em 88-89, realizando, no total, 299 jogos e marcando 99 golos, algo invulgar para um defesa central. Na selecção fez xx jogos e xx golos.

CARREIRA:

CLUBES ONDE JOGOU:

River Plate, 1974 a 1981.

Fiorentina, 1982 a 1986.

Inter , 1986 a 1988.

River Plate, 1988/89.

TITULOS:

Campeão do Mundo Argentina 78.

4 Campeonatos Metropolitano com River, 1975, 77 ,79 e 80.

3 veces Campeão Nacional com River, 1975, 79 e 81.