SEKULARAC

16 de Junho de 2005

Viviam-se os tempos existencialistas do pós-guerra. Nesses remotos dias onde a velha união de povos eslavos ainda se enquadrava no sentido da vida, o futebol encontrava a atmosfera ideal para gerar os seus primeiros talentos, de fino recorte técnico, fieis aos ideais estéticos da escola balcânica. Nos distantes anos 50, o Estrela Vermelha rivaliza com os croatas Hajduk Split e o Dinamo Zagreb, pelo domínio da Liga jugoslava. Jogavam então no onze de Belgrado, lendas como Rejko Mitic, Vladimir Beara e Bora Kostic.

Mas a grande estrela era o mágico maestro, Dragoslav Sekularac, o popular Sekki, que o passar do tempo imortalizou como o símbolo supremo do futebol jugoslavo dos anos 50. Era um pequeno artista driblador. Furava por entre os adversários como quem passava por entre os pingos da chuva. Dos seus pés saíram infinitos passes de morte para Kostic. Tinha um carácter indomável, que muitas vezes arrastava-o para conflitos com árbitros, adversários e até próprios colegas, acabando suspenso por 18 meses após agredir um árbitro num jogo com o Radnicki. Mais que pelos golos, é recordado pelos seus mirabolantes dribles, um mistério indecifrável para os adversários que nunca descobriram forma de o travar.

CARREIRA:

41 vezes Internacional jugoslavo

CLUBES ONDE JOGOU:

Estrella Vermelha 1

860 Munich.

Karlsruher, 1966/67.

St. Louis (NASL), 1967.

OFK Belgrado.

TITULOS:

5 Liga da Jugoslavia

1 Taça da Jugoslavia.

4º Melhoor jogador europeo dol ano 1962.