SPENCER, O «Gato do Equador»

26 de Outubro de 2006

Foi o melhor jogador da história do futebol equatoriano. Era um avançado completo, adulto e veloz, com grande precisão de remate. Foi contratado pelo Peñarol em 1959, por conselho do técnico Bagnulo, após um jogo que realizou contra os aurinegros, onde marcara um golo fabuloso. Por 10 mil dólares, o presidente Guelfi trouxe-o para o Uruguai. Estreou-se em 8 de Março de 1960, marcando 3 golos ao Atlanta Buenos Aires, numa vitória por 6-3. Ficou no Peñarol até 1971, vencendo 8 campeonatos, marcando 343 golos. O prestígio no seu país era de tal dimensão que foi nomeado Consul do Equador em Montevideo.

Era um goleador para os momentos difíceis. Raramente era o autor do segundo ou do quinto golo, marcando antes o que se necessitava para ganhar ou empatar sobre a hora. Ao longo de toda a sua história, o Peñarol sempre teve grandes goleadores: o educado Piendibene, anos 20, o indecifrável Miguez e o furioso Hohberg, mas nenhum atingiu a dimensão de Spencer, que, naturalizado uruguaio, faria, ainda 7 jogos pela selecção celeste.

CARREIRA

  • Deportivo Everest, 1955 a 1958.
  • Barcelona de Guayaquil, 1959.
  • Peñarol de Montevideo, 1960 a 1970.
  • Barcelona de Guayaquil, 1971.
  • TITULOS: 8 vezes Campeão Uruguaio (Peñarol, 1959, 60, 61, 62, 64, 65, 67 e 68).
  • 3 Copas Libertadores (Peñarol, 1960, 61 e 66).
  • 2 Taças Intercontinentais, 1961 e 1966.
  • 4 vezes melhor marcador do Uruguay, 1961, 62, 67 y 68.
  • Campeão do de Ecuador no Barcelona de Guayaquil, 1971.
  • GOLOS: Everest: 101 golos.
  • Peñarol: 326 golos.
  • Barcelona de Guayaquil: 18 goles.
  • Selecção do Equador: 4 golos
  • Selecção do Uruguai: 1 golo.