TIGANA

16 de Maio de 2005

O grande sucesso do futebol francês resulta de duas remotas correntes migratórias com sentido diferentes. Uma, de expansão territorial, a outra, de cariz imigrante, recebeu esses novos nacionais. A primeira abriga-se na secular vocação expansionista francesa que se estendeu para territórios da Oceânia (Nova Caledónia, Tahiti...), ás ilhas americanas banhadas de um lado pelos mares das Caraíbas, e do outro, pelo Atlântico, (Guadalupe, Martinica...), continuando depois a colonização para o Norte de África. Até meados dos século XX, a maioria dessas paragens permaneceu colónias ou territórios gauleses.

Depois, muitos desses nacionais rumaram a França e formaram a chamada França profunda, que acolheu essa imensa onda imigrante. Uma nova geração formou-se á luz de outra cultura e bandeira. No futebol, essa miscegenação deu origem a de fabulosos talentos, que, como em muitos outros clubes gauleses, também fizeram história no Bordeaux. De Marios Trésor, natural da Ilha de Guadalupe, o possante central que foi o grande patrão do onze de 84, até Zidane, o génio do Magreb nos anos 90, passando, entre muitos outros, por Tigana, a serpente do Mali, nascido em Bamako, que com o seu perfil pluma (1, 68 m. e 62 kg), driblava como caminhava e percorria o meio campo com a destreza de uma serpente numa imensa floresta.

Dono de uma técnica fina, jogou no Bordeaux, mas os adeptos insinuavam que ele não se aplicava no clube como na selecção: Em cinco jogos pelos Bordeaux, Tigana faz só um bom, na selecção faz cinco jogos bons... em cinco, diziam. Sempre sorridente, amante dos prazeres da vida, Tigana ficou, no entanto, com Bordeaux no coração, acabando por comprar uma vinha de 23 hectares. Uma vez por ano, durante algumas semanas, intercala os treinos com a vindima, produzindo, em média, 170 mil garrafas de cru bourgeios... Caso para dizer, Salut, Jean Tigana!

CARREIRA

  • Fez 411 na I Division francesa, marcou 26 golos.
  • Fez 53 jogos com a selecção francesa, marcou 1 golo.
  • Aspit de Marsella, 1965 a 1972.
  • Caillols, 1972 a 1974.
  • Cassis, 1974/75.
  • Toulon, 1975 a 1978
  • Lyon, 1978 a 1981.
  • Bourdeaux, 1981 a 1989.
  • Marsella, 1989 a 1991.

TITULOS

  • Campeão Europeu de selecções 1984
  • 3 vezes Campeão francês no Bordeaux 1984, 85 e 87.
  • 2 vezes Campeão francês no Marsella, 1990 e 1991.
  • 2 Taças de França (Bordeaux, 1986 e 87).
  • Como treinador: Campeão de Francça com o Mónaco, 1996/97.