A estreia de Renato Sanches no Bayern

12 de Setembro de 2016

Começar uma nova vida, num habitat futebolístico e modelo de jogo totalmente diferentes é um dos maiores desafios que um jogador, mesmo ainda no inicio da sua existência, defronta na sua carreira.

Renato Sanches estreou-se no Bayern Munique, obrigado por Anceloti a ter de pensar o jogo de forma diferente na estrutura (em 4x3x3 como interior-esquerdo, com Thiago interior-direito e Xabi Alonso pivot). Princípio para a adaptação táctica: correr menos e ter mais intensidade... sem bola. Isto é, estar mais concentrado no “jogo posicional” colectivo para equilibrar a estrutura no triângulo do meio-campo, em termos de apoio de circulação, como de saída apoiada para o ataque. Um jogador antes habituado a sair a correr com a bola, ganhando metros em posse, era obrigado a ter de esperar mais por ela e quando a recebe saber segurar e jogar rápido sem... correr muito.

Não cometendo erros, sabendo cumprir a burocracia de fechar e dar o passe que garanta a transição. Fez uma primeira aparição “tacticamente limpa” . A "sala de máquinas” do Bayern funcionou. Percebeu-se que Renato ainda não está com o corpo e a cabeça todo metido nesses princípios e por isso foi natural sair a meio da segunda parte, mas o principio das suas novas obrigações ficaram evidentes: pensar o jogo de forma diferente, mais quieto no espaço.