“Formigas“ Tácticas

13 de Fevereiro de 2017

Há jogadores que não se destacando individualmente têm uma influência colectiva tal que sem eles nada seria possível. São “formigas tácticas”. Dá a sensação que carregam um peso superior ao que o seu corpo permitiria. É o que sucedeu com Nildo na estratégia do Moreirense contra o Sporting. Ele levava o peso táctico da equipa em cima.

Era o “mais um” quando a equipa atacava, junto dos avançados (começou na esquerda, num 4x4x2 clássico e passou depois para dentro, um pouco atrás do nº9 móvel, numa espécie de 4x4x1x1) e então era o “mais um” quando a equipa defendida, junto dos médios recuados (Cauê-Fernando Alexandre).

Na estratégia de jogo pensada e depois reciclada por Inácio, ele foi a chave de tudo. Faltou depois esconder a bola quando o Sporting começou a crescer demais para cima da sua área, mas nessa altura a equipa já não conseguia sair. Ainda tentou subir a zona de pressão dos médios-interiores mas acabou por perder. Fica, porém, mais uma vez, a boa ideia de jogo e que mesmo perdendo os craques do onze tem um colectivo (onde Dramé ainda marca a diferença) que a pode levar à salvação com bom futebol.