Galeno e o ”Onze B” do FC Porto

19 de Maio de 2017

O FC Porto venceu a Premier League Internacional Cup estimulando ao máximo o potencial da sua equipa B. Orientada por Folha, as raízes de um sistema-base (4x3x3) permite a melhor da definição da dinâmica. Uma referência numa época em que a equipa principal se confundiu entre vários. Com laterais que apoiam o ataque (Fonseca-Inácio) e um pivot que sai muito bem da pressão para fazer circular a bola (Govea) subia depois em posse construtiva com Chico Ramos (um jogador a pedir urgentemente a I Liga) e Fede Varela, enganche com o ataque onde desponta um ponta-de-lança que apesar de não cativar à primeira vista, convence ao… primeiro toque: André Pereira. Recebe a bola porque a segura/esconde bem e remata num ataque que tem nas alas dois jogadores já falados para o plantel principal. São, no entanto, casos diferentes.

Kayembe já tem duas épocas de I Liga (Arouca e Rio Ave). Tem técnica e garra mas uma margem de evolução já limitada. Diferente de Galeno que tem todo o potencial para ser trabalhado e meter a sua qualidade técnica de condução e definição num ritmo competitivo mais exigente. Faz as diagonais diretas à baliza e procura a concretização.