Isto é Como Começa, Não Como Acaba

17 de Maio de 2017

Jesus colocou o problema do Sporting já no inicio da próxima época. Aquela velha frase de “não é como começa, é como acaba” é das maiores armadilhas na época duma equipa. Pela simples razão de como acaba depende muito de como começa. É muitas vezes decisivo.

Jesus sabe que este seu Sporting “versão III” não tem margem para começar mal. Tem de entrar forte e lutar por títulos a partir dessa afirmação inicial. O play-off da Champions, os jogadores a chegar tarde e as dificuldades em fazer o plantel, deixam-no preocupado por antecipação.

Esta semana, contratou um dos melhores talentos emergentes do campeonato: Matheus Oliveira. Tem técnica refinada, quer a construir, quer a definir. Precisa de aumentar o seu ritmo de jogo para ser “jogador de equipa grande”. Podem vê-lo mais como um nº8 de construção mas penso que na fórmula-Jesus, pode jogar a partir da faixa (dando largura de jogo posicional quando for necessário circular) mas sendo mais um terceiro-médio escondido. Uma dinâmica semelhante à que fazia João Mário, a dinâmica posicional-individual com transfer colectivo que mais falta fez ao Sporting esta época.