Liga dos Campeões Africanos – Fase de Grupos

06 de Julho de 2012

Liga dos Campeões Africanos – Fase de Grupos

Numa prova dominada por equipas do Norte de África, sendo o TP Mazembe a exceção que, nos últimos sete anos, confirma a regra, a fase de grupos desta temporada representa essa forte tendência, com cinco equipas vindas do Magrebe (Egito, Tunísia e Argélia), o TP Mazembe (RD Congo) e duas novidades da África Negra. Sunshine Stars, da Nigéria, e Berekum Chelsea, do Gana, conseguem logo na estreia um lugar nesta adiantada fase da Liga dos Campeões.

Apesar do favoritismo recair para as fortes equipas da Tunísia e do Egito, algumas surpresas poderão acontecer na maior prova do futebol africano. Se no Grupo A, Esperance Tunis e Étoile Sahel são os conjuntos mais fortes, no Grupo B veremos como é que as equipas egípcias são afetadas pela falta de competição no seu país.

Grupo A

Liga dos Campeões Africanos – Fase de GruposVencedor da Liga dos Campeões e do Campeonato Tunisino na temporada passada, o Esperance Tunis regressa à fase de grupos com grande confiança em repetir o sucesso. Apesar de ter perdido Msakni e Darragi, a equipa aposta no seu atacante camaronês, Yannick N'Djeng, para fazer a diferença. Poderá também ser uma oportunidade para lançar alguns jovens jogadores, como é o caso de Beauguel, recentemente chegado dos escalões de formação do Toulouse.

O Étoile de Sahel foi vice-campeão Tunisino em 2011 e procura reconquistar um título que foi seu em 2007. A figura da equipa é o guarda-redes internacional Mathlouthi. A equipa teve dificuldades na primeira eliminatória, frente ao campeão ruandês, mas a partir daí pareceu encontrar de novo o seu caminho. Bater o Esperance é um objetivo difícil, tanto que a equipa de Sahel fez um campeonato nacional bem mais fraco em 2012, terminando em 5º lugar.

O ASO Chlef foi campeão argelino em 2011, mas perdeu referências desde essa vitória. Teve um percurso difícil para aqui chegar, eliminando o Vita Club e o Al Hilal do Sudão, e tem como sua principal referência o veterano defesa-central Samir Zaoui. Os seus objetivos passam por conseguir um lugar nas meias-finais.

Já o Sunshine Stars chega à fase de grupos da Liga dos Campeões depois de ter garantido o segundo lugar no campeonato nigeriano. Numa equipa cheia de juventude, há um nome que sobressai. Samuel Okunowo, o “trota-mundos” que passou pelo Barcelona e pelo Benfica, regressou a casa para ser o líder da equipa onde se formou. Frágil fora e muito forte em casa (o Rec. Libolo que o diga), a equipa nigeriana poderá ser um pêndulo do apuramento neste grupo.

Grupo B

Liga dos Campeões Africanos – Fase de GruposO Al Ahly foi o último clube egípcio a vencer a Liga dos Campeões, em 2008. Depois da saída de Manuel José, e sem competição local, a equipa passa uma fase de alguma indefinição. Aboutrika, que prometera abandonar o futebol, continua a ser a figura do Al Ahly, podendo ser um jogador decisivo em qualquer partida. Sem o apoio do seu público, será muito importante que a equipa consiga garantir fora alguns pontos que lhe permitam o apuramento.

O mesmo se aplica ao Zamalek. Com a agravante de Omotoyossi estar em conflito com o clube e ter já demonstrado vontade de sair. Da resolução desta questão poderá depender o poder de fogo do Zamalek, que também perdeu Mido para o Barnsley. A eliminação da CAN2013 da seleção do Egito, frente à Rep. Centro-Africana, é, neste momento, um fantasma na cabeça dos jogadores egípcios. A Liga dos Campeões a oportunidade de reafirmarem o seu poderio em África.

O TP Mazembe tem quatro Liga dos Campeões no seu currículo e quer voltar, rapidamente, à glória. Com uma equipa que mantém grande parte das suas estrelas, onde estão incluídos vários vencedores da CAN 2012, como Himonde, Sunzu, Sinkala e Kabala, a equipa congolesa tem poder para bater os seus conceituados adversários e até para chegar à final.

Já o Berekum Chelsea é a grande novidade desta fase. Campeão ganês, é o único representante de um país que não está entre os dez melhores do ranking das provas de clubes da CAF. Fundado em 2000, a equipa venceu o ano passado o seu primeiro título nacional e surge agora inspirada pelo sucesso do clube inglês com o mesmo nome. Com um plantel muito jovem e sem experiência internacional, o Berekum Chelsea deixou pelo caminho o Raja Casablanca e o Cotonsport, dois históricos. Sinal dos tempos.

A fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos disputa-se entre 7 de julho e 4 de agosto. Os dois primeiros classificados de cada grupo ficam apurados para as meias-finais.

Luís Cristóvão escreve sobre desporto em vários sites. O seu trabalho está reunido no blogue Gazeta dos Desportos.