Melhores equipas e goleadores

22 de Abril de 2016

Fora do circulo dos gigantes uma equipa que me dá hoje vontade de ver jogar é, em Espanha, o Las Palmas. Aposta num estilo de passe e construção apoiada que teve o mérito de crescer quando caiu na zona de descida. Com esse estilo, saiu do fosso e hoje respira tranquila. É a afirmação de personalidade ideológica de Quique Setien como treinador (após vários anos no Lugo na II Liga).
A base é um 4x3x3 que com Araujo movendo-se em torno do ponta-de-lança Willian José fica um 4x4x2, criando em dupla desequilíbrios na frente, onde Jonathan Viera também surge no um-para-um. Abre bem nas faixas com o marroquino Zahar, mas o epicentro do jogo está no corredor central, onde o compromisso táctico com técnica de Roque Mesa, conduzindo bola e jogo desde trás, faz do onze um bloco. Com Tana, são dois baixinhos que personificam o estilo tecnicista que, desde sempre, o “futebol canário” cultivou. Quique Setien entendeu essa cultura e este onze é a sua imagem.

2. ICARDI

 

É mais um dos avançados de quem tanto se gosta como se tem vontade de atirar para fora do campo. Tanto faz golos (15 esta época, após 22 em 14/15) como inventa problemas. Icardi pertence á cada vez mais vasta corte de avançados insolentes. Tem arranque e remate na passada. Joga sozinho entre os centrais ou em dupla (se, claro, respeitar o outro avançado ao lado).
O Inter de Mancini está a crescer nesta fase da época mas é perturbador perceber que muito desse crescimento depende da estabilidade deste tipo de jogadores. Cada vez mais, no entanto, existem casos destes. Não é por acaso. Toda a encenação que rodeia o futebol atual quase que promove estas personagens. O relvado parece apenas um local onde em vez de expressar as suas qualidades passeiam a sua imagem. Icardi, 23 anos, tem tudo para ser dos melhores avançados da sua geração. Basta saber escolher qual o melhor motor para tudo o que faz.