MUNDIAL SUB-20 2015 Dia 9

21 de Junho de 2015

Equipa mais defensiva do mundo

Não me lembro de ver, no tempo moderno, uma equipa tão defensiva a segurar um resultado como vi, neste Mundial sub-20, a selecção da Áustria. Uma postura que se acentua no jogo, até meter toda a equipa atrás da linha da bola, numa caverna de 30 metros da qual ninguém põe o nariz de fora.
O jogo com a Argentina (0-0) mostrou este perturbante estilo. E o mais estanho é que a Áustria tem jogadores para fazer outro jogo. Entra em 4x2x3x1 com Schweild a nº9 móvel, Grubeck atrás em apoios e alas rápidos Blutsh-Gruber. Aos poucos, porém, o técnico Andreas Heraf vai puxando a equipa para trás, fechando todos os buracos. Frente à Argentina tirou, ao minuto 41 e 46, dois avançados (Grubeck e Gruber) para meter um trinco, Lovrin e mais um médio atrás, Brandner.
Nos últimos 20 minutos, tirou o avançado que restava, Schweidl e meteu um terceiro central, passando ao 4x5x1, que não tinha o tal “1” ofensivo, pelo que na prática era um 5x6x0. Assim mesmo. E com o guarda-redes Casali a defender tudo. Acabou 0-0.
No fim, treinador e adjuntos argentinos, desolados com a eliminação, olhavam para Heraf como que perguntando, “o que é isto?”. Grondona nem o cumprimentou, só lhe mostrou o polegar para cima, como que dizendo que esperava que ele estivesse feliz por a sua ideia anti-futebol ter resultado. Já contra o Gana, Heraf fizera o mesmo.
E, assim, a Áustria vai para os oitavos. Quem os defrontar, não vai, em rigor, defrontar uma equipa de futebol. Vai defrontar dois muros vermelhos com pernas plantados à frente da área.

lozano mexico-vs-uruguay-sub-20-1

México: Pineda e Lozano

O México caiu no grupo mais forte, mas mostrou ser uma boa selecção. É o futebol-base azteca. No onze, fixem um segundo-avançado de “zigzags” com a bola controlada, rápido a mover-se entrelinhas, atrás do nº9. É o esquivo O. Pineda (Querétaro), o tipo de jogador que, no entanto, terá dificuldade de encaixar num rigor táctico posicional superior. Nesse sentido, em quem vejo mesmo potencial para ser jogador é em Lozano (Pachuca), ala-direito com visão de organizador e que cruza muito bem. Noutras vezes joga mais na meia-direita, soltando a sua visão de jogo.
Dois jogadores de estilos diferentes. Um mais empolgante, outro mais cerebral. Numa jogada, o primeiro destaca-se. No jogo todo, o segundo manda.