O bom futebol está na moda

03 de Fevereiro de 2008

O bom futebol está na moda

Stanley Eddington foi um famoso astrofísico britânico de início do século passado. Fez estudos científicos brilhantes. Até tem um asteróide com o seu nome. Vivia mergulhado em livros e experiências mas também tinha vida pessoal. Amava a sua mulher loucamente. Uma donzela linda e elegante com trato fino.

Apesar de toda essa sua beleza física, a fria visão científica de Eddington não tinha, no entanto, qualquer dúvida: a mulher linda que tanto amava, em bom rigor, não passava de um mero conjunto de átomos e células. Sempre o soube, mas tinha a plena consciência que se a tratasse dessa forma tão fria, ela iria embora no minuto seguinte. Por isso, tratou-a sempre com amor e carinho. Escondeu a sua visão científica e soltou a emocional. Em vez do seu sistema celular, admirava as curvas das suas ancas. E viveram felizes para sempre.

Um jogador de futebol em rigor é um conjunto de músculos em movimento na perseguição de uma bola. Seja ele qual for. Se, no entanto, olharmos para eles apenas dessa forma, nunca os conseguiremos entender ou apreciar. E, o treinador, nunca descobrirá como os seduzir e colocar a jogar na melhor posição para se exprimirem. Scolari tinha avisado “aqueles que andam a jogar com quilos a mais, bunda grande, menos preocupados com o futebol e mais com a noite e desfiles de moda, podem perder o ônibus”.

Estranha forma de analisar jogadores de futebol. Cada treinador terá a sua forma de gerir um grupo e analisar o momento de forma dos jogadores. Ou de alguns deles, pelo menos. Na altura dessas afirmações, todos identificaram Miguel Veloso como principal destinatário dessa mensagem. A sua não convocação confirmou-o. Sempre que falam no perfil físico de Veloso, recordo outro jogador, que agora se senta no banco de Alvalade com outras funções. Não desfilava no Portugalfashion mas também jogava com “bunda grande”. Pedro Barbosa.

Quinito que o lançou em Guimarães, dizia que o ponto fraco do seu futebol era os “croisants”. Mas como jogava. A bola chegava aos pés dele e ficava hipnotizada. Depois, obedecia aos seus passes e remates em arco.

O bom futebol está na modaApós um ano em que o puseram na lua, Veloso passou, esta época, a ser um alvo de muitas criticas. O Sporting deixou de interpretar os seus princípios de jogo com velocidade e precisão, perdeu jogadores-chave para isso, mas muitos identificaram Veloso como uma das causas para essa quebra. Da lentidão em campo aos fatos de Fátima Lopes. É possível, no entanto, olhar ao mesmo tempo para o Miguel Veloso jogador de futebol e para o Miguel Veloso personagem «dandy». São duas faces da mesma moda e moeda, futebolística e humana. Tem uma forma de jogar descomplexada. Com a camisola fora dos calções. Tem um estilo de vida descontraído. Com “blazer” e a camisa fora das calças. Fisicamente é hoje aquilo que sempre foi. Um jogador de perfil algo dengoso, parecendo sempre com os quilitos a mais. Em miúdo, não ficou no Benfica porque no treino de captação o terem achado “um pouco gordo”. O Sporting não se importou com isso. E foi mantendo essa aparência que conquistou um espaço em Alvalade.

Quando entrou na equipa principal, a sua elegância com a bola numa posição em geral mais entregue a trincos durinhos, legitimou outro futebol para o resto da equipa. Com maior perfume técnico e táctico. O seu olhar de cinema, os cabelos loiros e o rabo-de-cavalo criaram depois a outra personagem fora dos relvados. Não nas pastelarias, mas nas passerelles. Com a bola, no relvado, a sua “bunda grande” torna-se elegante. Como a de Pedro Barbosa. Entender jogadores não é fácil.

O bom futebol está na modaEntender a vida, ainda mais. O futebol e o jogador ficam no meio. O segredo para os entender, passa por conseguir colocar-se nesse local de cruzamento. A bola e o bom futebol nunca se importaram com questões físicas ou morais. Jogar bem tem a ver com outras coisas. Com a inteligência, com a forma como se pisa o relvado, com a capacidade de seduzir a bola e manejar o jogo. Se Veloso sair do relvado, o mais provável é a bola ir atrás dele para um desfile de moda.