Olhem para mim!

20 de Janeiro de 2016

Simboliza quase como a “revolta silenciosa” dos pontas-de-lança portugueses. Bruno Moreira. Tem construído a sua carreira “à navalha” sem os focos dos grandes clubes, mas a forma como, aos 28 anos, atinge um nível exibicional tão alto, de maturidade e astúcia (aquela que parece fazer os melhores nº9 adivinhar onde vai cair a bola na área) fazem hoje dele o melhor goleador nacional do campeonato (com 11 golos). Quando a bola se aproxima dele na área até parece crescer de tamanho. Ainda estará a tempo de dar um salto na carreira mas, nesta primeira volta do campeonato, é também a figura da “equipa-sensação”: o Paços de Jorge Simão.
A Mata Real já nos habituou a dar boas equipas, na raça e no jogar bem, mas este Paços é, talvez, dos mais multifacetados no plano do estilo de jogo. Tanto o vemos a querer posse como, no modelo preferencial, a esticar rapidamente na frente. Em qualquer estilo, estão os golos de Bruno Moreira.