Jogadores: De Ruben Neves a Luis Carlos

24 de Maio de 2016

Ele entra e tudo melhora.

No futebol, não existem coincidências. Nesta época de indefinições para o FC Porto se há algo que, em campo, fica claro é que sempre que Ruben Neves entra... a equipa melhora. É como se lhe mudasse toda a forma de começar a pensar (e consequentemente de jogar). Danilo tem qualidade a equilibrar (embora recuando para central tem condições/obrigação de sair mais em posse a construir de trás) mas não é o farol de circulação que é Ruben Neves. Podem existir outras teorias, mas não vejo hoje uma melhor para o onze azul-e-branco que não comece por Ruben Neves como referencia no meio-campo.

luis carlos1

“Ladrão do ano” com motor

Este Braga pode ter muitos rostos e Rafa, claro, é o criativamente mais visível, mas o mais importante, e talvez tacticamente mais invisível, é Luís Carlos. Olho para ele, na intensidade, disciplina de posicionamento, corte, saída da pressão, segurando a bola, ganhando faltas ou passando simples e vejo... organização. A tal palavra que é a chave de tudo. Nasce no corpo robusto deste jogador e transfere-se para o resto dos outros em campo.
Gere jogos e estratégias. Um jogador criado a este nível por Paulo Fonseca. Luis Carlos, o “homem-táctico do ano” do jogo e triunfo bracarense.