PARAGUAI

24 de Maio de 2002

Na observação diária das selecções que irão estar presentes no Mundial, deparei-me na ultima semana com uma surpresa: a selecção do Paraguai. Chefiada em campo por Chilavert que, qual pavão real exibindo a sua enorme plumagem, nunca pára de dar ordens á equipa, o onze guarani venceu a Suécia, em Estocolmo, realizando, sobretudo na primeira parte, uma sedutora exibição, feita de insidiosos contra ataques, triangulações e belos gestos técnicos tipicamente sul americanos.

A escolha de um treinador italiano da velha escola como Cesare Maldini, um táctico por natureza, para orientar um onze latino-americano, tradicionalmente mais guerreiro que artístico pode parecer, á primeira vista, algo contra-natura, mas, vendo bem, as coisas começam a fazer sentido quando reparamos que o Paraguai possui uma das mais fortes defesas do futebol actual, a jogar junta desde há quatro anos: Arce, lateral direito, Gamarra e Ayala, centrais, Caniza ou Sarabia, lateral esquerdo. Com Maldini, o onze manteve a mesma segurança defensiva, com marcação mista e os laterais a fechar os flancos, mas, jogando num elástico 4x4x2, adquiriu maior fluidez no primeiro toque que, á frente da defesa, lança o contra ataque, papel desempenhado por Toro Acuña e Paredes, dois médios geneticamente defensivos mas com grande visão periférica.

É obvio que o Paraguai nunca se poderá parecer, na sua essência, a uma equipa italiana, mas a forma quase cínica de abordar o jogo partindo de trás quase faz lembrar o venenoso contra ataque transalpino. Depois de muito contestado, Maldini ganhou o crédito de confiança de todo a nação paraguaia e a América do Sul descobriu um novo estilo. Na fase ofensiva, na ausência do goleador Cardozo, demasiado estático, muita atenção ao veterano Jorge Campos, num fantástico momento de forma, de onde poderão sair os mais perigosos passes para o esguio e técnico ponta de lança Roque Santa Cruz, 20 anos, um jogador que após duas épocas no futebol alemão adquiriu a mobilidade e o jogo de cintura dos grandes avançados.