TÁCTICAS

18 de Outubro de 2002

TÁCTICAS

Oito anos depois do último titulo – em 1994, pela mão de Brindisi- o Independiente, regressou ao topo da Liga Argentina. No leme deste renascer dos Diabos Vermelhos de Avellaneda, mítico bairro futbolero de Buenos Aires, está El Tolo Gallego, libero da selecção argentina campeã do mundo em 78 e antigo técnico do River, um genuíno filho do estilo argentino, aquele que deixa a pele em campo e trata a bola como uma mulher bonita. No relvado, três novos diabos vermelhos personificam este novo Independiente, actual líder da Liga Gaúcha: Milito, Insúa e Silvera, a espinha dorsal do onze. Partindo de trás, tudo gira em torno de El Mariscal Milito, central ou trinco, orientando a saída de bola para o meio campo, onde surge, depois, um mago canhoto: Insúa, o grande cérebro da equipa. Faz tudo com o pé esquerdo. Toques de calcanhar, assistências mortais, condução da bola em corrida e remate. No ataque, um nº 9 clássico: Silvera, campeão do mundo Sub-20 em 97, destro, o avançado centro operário que corre quilómetros e é o primeiro a fazer a zona, tentando recuperar a bola. Com ela nos pés, é um finalizador nato, que, jogando apenas nos últimos 20 metros de terreno, gosta de buscar as laterais, fugindo á marcação. Personalizados, criativos e eficazes, eles são a base onde assenta o sistema de 4x1x3x2 preconizado, quase inalteravelmente, por Gallego.

Para além daquele trio mágico, deve destacar-se, entre outros diabos do onze, os médios-ala volantes El Rolfi Montenegro, uma flecha dribladora sob a direita, onde é apoiado pelo inteligente Pusineri, enquanto o possante guerreiro El Cholo Guiñazu enche o flanco esquerdo. Os movimentos deste três jogadores são decisivos para abrir a frente de ataque e dar largura ao jogo ofensivo da equipa. Na defesa, onde Franco joga ao lado de Milito, nas costas do pendular trinco Suarez, refira-se a acção defensiva dos fortes laterais Serrizuela e Dominguez, que, algo lentos, é raro irem á linha centrar, ficando essa tarefa para os alas Pusineri e Guiñazu.