Uma Análise a uma Noruega devastadora!

17 de Outubro de 2020

No passado dia 11 de Outubro, a Noruega obteve uma vitória categórica por 4-0 sobre a Roménia. Tendo realizado um bom jogo, observamos e identificamos, alguns pontos-matriz daquilo que é a ideia norueguesa, essencialmente na fase ofensiva.
- Remetendo a nossa atenção para a primeira fase de construção, os noruegueses optam por construir com uma linha de 3 homens, os 2 centrais ( Strandberg e Ajer) e um dos 2 pivôs defensivos ( Norman e Berge), ainda que Berge o faça mais vezes, sendo que Norman têm tendência a procurar espaços mais adiantados do terreno, tendo boa capacidade de condução de bola.

- Os 2 laterais, conseguindo a Noruega ultrapassar a primeira linha de pressão do adversário, tornam-se alas e oferecem uma largura necessária ao jogo, quer porque podem receber bola e a partir desse momento projetam-se e com relativa facilidade chegam ao ultimo terço, quer pelo facto de ao estarem tão largos, obrigam também a equipa adversária vir “mais fora” criando espaço em espaços interiores e assim sendo, quebrando linhas rapidamente.

-Evidenciam uma dinâmica interessante nos homens mais adiantados no terreno, sendo que o homem detentor da camisola 10, Martin Odegaard, uma vez que tenha a bola em sua posse, tende a procurar terrenos interiores através das suas extasiantes diagonais e a partir daí, deambula de uma forma incrível, ultrapassando os adversários e aliado a isso cria espaços para os colegas aproveitarem, com uma classe que só os predestinados possuem!

- Haaland e Sorloth, são 2 das setas apontadas á baliza adversária, tal é a capacidade de “agredir” a linha defensiva adversária, com movimentos de rutura e constantes ataques á profundidade, o que lhes permite, em variadas ocasiões, ficar frente a frente com o guardião adversário e aí, especialmente, Erling Haaland, não costuma pedir licença!

- Elyounoussi, torna-se a peça fundamental para completar os homens anteriormente referidos, possuindo uma orientação espacial e capacidade posicional, que lhe permite facilmente colocar-se entre linhas, sendo uma solução quase sempre viável para receber bola, mas também de descair nas faixas, provocando, intencionalmente, dificuldade naquilo que são as marcações da linha defensiva oponente.

Esta Noruega promete, e nós vamos estar sempre atentos àquilo que Haaland e as suas tropas serão capazes de fazer!

Diogo Postiga - Recepção Orientada

Artigos Relacionados